Tati Eckhardt Sex Coach: Cuckcold é o Fetiche da Moda?


Fetiche do Cuckold: será que é pra você?

Olá meus amores! Tudo bem com vocês? Comigo tá tudo ótimo!

Antes de mais nada, precisamos entender o que significa a palavra Cuckcold para podermos fazer uma breve discussão sobre o tema, familiarizar vocês com o termo e promover a naturalização, quebrando mais um pedacinho desse tabu enorme que se chama sexo, que é o objetivo deste artigo.

Então, vamos lá!

Cuckcold é o termo em inglês, que é uma adaptação de cuckoo (o pássaro cuco), onde a fêmea deposita seus ovos em ninhos de outros pássaros para eles chocarem.

Cuckold é o termo utilizado para homens que gostam de ver suas esposas transando com outros homens, muitas vezes em situações de humilhação, que pode ser uma modalidade do BDSM.

Quem acompanha meus conteúdos, sabe que sempre deixo minhas DMs abertas para responder perguntas sobre sexualidade, seja no Twitter, Curious Cat, Instagram e até mesmo nos comentários do canal Sex Coach Brasil. Aliás, tem conteúdo sobre Cuckold no Canal. É só clicar em um dos vídeos e conferir!😉




Segundo o Sexlog, um dos fetiches sexuais que estão no topo la lista de busca no site é o fetiche do cuckolding.

Para começar, lanço aqui uma leve provocação pra vocês: no Brasil, em uma sociedade onde a maioria das pessoas se considera monogâmica, visto o aumento de pessoas se interessando por relacionamento liberal, já podemos perceber uma discrepância entre “o que se fala e o que se faz”, não é mesmo?

É lógico que não temos os dados exatos de toda a população brasileira. Estamos falando aqui de nichos...

Segundo a filosofia, as perguntas são mais importantes do que as respostas. Portanto, se já conseguimos perceber que essa conta não bate, levantar essa questão já é algo valioso.

Vocês podem até me perguntarem: Tati, por que as perguntas são mais importantes do que as respostas? Eu explico: a partir do momento que você começa a perguntar algo, você para e pensa sobre o assunto e daí sai da rodinha do hamster.



Quando a pessoa segue um dogma, ela não questiona, não pensa no que está fazendo. Só faz por efeito manada, só faz porque outros estão fazendo.

A monogamia é um dogma que está caindo por terra, pois, por mais que se diga que a monogamia funcione, na prática não acontece. Ou seja, o comportamento das pessoas em relação às suas preferências sexuais não condiz com os títulos que elas se rotulam perante a sociedade.

Quantos e quantos casais praticam swing escondidos, com medo e vergonha do julgamento e preconceito de familiares, amigos, vizinhos e colegas de trabalho?

Agora,



como explicar a moda do fetiche do Cuckold?

Tenho algumas hipóteses:

  • A primeira delas é o fato de que estamos falando sobre isso. Falar sobre algo que é considerado tabu, desmistifica muita coisa e diminui o tamanho do preconceito sobre aquela coisa;

  • Cumulativamente, temos a segunda hipótese que é: quando um casal já está conversando sobre o que gosta no sexo, eleva a intimidade para entrar em assuntos delicados como o fetiche de cada um. Isso pode desabrochar uma das partes que talvez, tivesse vontade de praticar e a outra ainda não tinha coragem de revelar.

  • Uma outra coisa ainda é a consequência da primeira. Pode ser que algumas pessoas queiram experimentar só pelo fato de que outras estão falando sobre o assunto. Se permitir experimentar também é uma quebra de tabu enorme.

Enfim, talvez essa última poderia ser considerada a mais próxima da “moda do Cuckcold”, mas em síntese, o que eu quero que vocês entendam é que o Cuckold é polêmico justamente por ser uma prática em relacionamentos não monogâmicos.

Daí confronta com o status quo da nossa sociedade patriarcal, machista e misógina, onde promove o sexo como algo pecaminoso e propagador de doenças. Onde ter prazer é errado, principalmente para as mulheres.

A ideia é se questionar a todo momento: Por que estou fazendo isso? Eu gosto mesmo disso?

Se a resposta for: hum, eu experimentei e não gostei. Ótimo!

Se a resposta for: Nossa, tô percebendo que gosto mesmo disso. Ótimo!

Ninguém é obrigade a gostar de algo só por que andam falando por aí e também ninguém deveria se importar com críticas negativas. A vida é sua e você tem que vivê-la da melhor forma possível.



No fim, o que realmente importa é buscar o autoconhecimento pra tudo na vida, principalmente para o sexo.



Dessa forma, é possível saber o que realmente gostamos e realmente fazer algo sem medo de ser feliz; e também ter a certeza de não fazê-lo simplesmente porque não gostamos ou não queremos.



Liberdade sexual é o que tem pra hoje minha gente! Eu não disse que seria fácil, mas também não é impossível.



Até breve com mais assuntos polêmicos pra instigar a sua curiosidade.



Um bjinho da sua Sex Coach mais ppka das Galáxias!!


  • White Instagram Icon

Instagram

  • White Twitter Icon

Twitter

  • whats

Whatsapp