Sex Coach Tati Eckhardt responde: Sexo e Religiosidade


Tati Eckhardt: você pode ter uma religião e fazer sexo sem culpa.

O Natal é uma comemoração religiosa para quem segue crenças cristãs, pois no dia 25 de dezembro foi a data definida para ser comemorado o nascimento de Cristo. E em meio a toda essa mística, então, como lidar com o respeito à religião e perceber que o sexo faz parte da vida?



Temos uma cultura muito enraizada que caracteriza o sexo como algo sujo e impuro, indigno. Para isso começar a mudar, precisamos colocar as cartas na mesa. Conversar sobre os sentimentos é importante. O ser humano sente desejo e isso é fato, é biológico.



O diálogo permite crescimento e expansão da consciência. Ninguém precisa deixar de acreditar em seus deuses ou entidades divinas por conta do sexo e é o que será abordado nesta conversa.


Assista o vídeo sobre o tema, aqui:


Eis a pergunta feita para mim, no Curious Cat:



Curious Cat: Isso não é exatamente uma pergunta mas quero sua opinião e conselhos também em 2014, no auge da minha adolescência com 16 anos, eu me masturbei no natal, exatamente no dia 25, e eu me arrependo disso até hoje, fiquei muito triste e bravo comigo mesmo e ali reconheci que tava viciado em masturbação e pornografia, atrapalhava até relacionamentos amorosos meus porque eu queria algo rápido, queria só foder, me arrependo disso até hoje e sou virgem até hoje. reconhecendo meu vício fiquei 2 anos e meio sem me masturbar, eu tinha muita polução noturna, tipo quase toda semana, não era saudável eu ficar sem masturbação porque eu precisava tirar aquilo de alguma forma, eu me repreendi sexualmente, várias garotas queria ficar comigo mas eu não queria porque eu me arrependia do fatídico dia, tinha medo de me tornar aquilo de novo, disso eu não me arrependo porque eu precisava mostrar pra eu mesmo que o que eu fiz era totalmente errado. em 2017 quando me sentia mais maduro resolvi voltar a bater punheta, mas com algumas regras, tipo eu não me masturbo no mês de dezembro, na quaresma, nos domingos e em datas específicas, mas ainda sim eu me arrependia de bater punheta, hoje reconheço que eu me arrependia por causa do que eu pensava enquanto batia punheta e tinha medo de voltar ao vício. hoje, tenho 21 anos, me considero homem feito e tô pronto para voltar a me masturbar sem essas regras, ultimamente venho finalmente tratando masturbação como algo normal e saudável, afinal como eu falei eu tinha polução noturna sempre, e ainda tenho se ficar muito tempo sem punheta, e tá sendo muito bom tratar a punheta como algo saudável e normal, muito mais prazeroso e to me descobrindo, o que eu gosto e o que eu não gosto, hoje sei reconhecer quando o vício é vício e sei tratá-lo como vício porque sou maduro suficiente, estou pronto porque se algo sair um pouco do controle saberei como parar, não é o certo ficar impondo regras nas coisas porque isso não irá me ajudar a entender que tal coisa específica é errado, só vai me ajudar a odiar a coisa como um todo, isso foi algo que aprendi. enfim, acho que estou realmente pronto, estou pensando em me masturbar já nesse próximo dezembro, pode parecer uma coisa pequena pra você isso mas é uma coisa realmente grande pra mim. talvez se eu não tivesse me repreendido tanto eu não seria virgem até hoje, que é uma das minhas maiores inseguranças, talvez teria uma auto estima melhor, sei que sou um pouco velho pra isso mas finalmente com 21 anos tô me descobrindo sexualmente isso pode ter ficado muito grande, estou me sentindo em grupo de ajuda para viciados anônimos kkkk, desculpa mas queria saber sua opinião sobre isso e alguns conselhos também, obrigado



Tati Eckhardt: Vamos lá. Certamente a castidade é um assunto delicado. O que nos faz refletir é o seguinte: quais são realmente os seus valores? Conheço pessoas que são realmente felizes vivendo a castidade, que possuem uma forte convicção em relação ao celibato. Mas também conheço pessoas que vivem a sua sexualidade ativamente e saudavelmente e também são felizes.



Consegue entender onde quero chegar?



Acho que o que realmente aconteceu ao longo desse tempo, toda essa punição, não foi saudável a você. Você tem que descobrir o seu próprio caminho, a sua hermenêutica em relação às coisas espirituais, entende?



Pois segundo as escrituras, ninguém é digno de Deus. Se Ele ama o ser humano que Ele mesmo criou é por misericórdia e não por mérito. Se você crê em Jesus, percebe com um pouco de análise teológica que Ele mesmo é um paradoxo. Jesus é homem ao mesmo tempo que é Deus. E por aí vai...



O que estou querendo dizer com isso é que existem inúmeras formas de interpretar como Deus é, como Ele te ama e o que Ele quer de você. Você precisa encontrar uma forma de viver a sua fé sem se punir tanto.



Crie um paradoxo para você. Afinal, você é mente, corpo e espírito, certo? Se o seu corpo fosse impuro, Deus não te criaria assim, exatamente como você é, com um corpo que funciona perfeitamente, que tem desejos sexuais. Isso não é impuro. Você acha mesmo que Deus deveria te punir por você se masturbar, qualquer que seja o dia? Se Deus é Deus Ele vai querer a sua verdade, nua e crua, como ela é.



Você refrear seus desejos fingindo que não sente prazer em se masturbar ou querer fazer sexo, fazendo torturas físicas e psíquicas contra você mesmo, certamente não agradaria a Deus. O que vai agradar a Deus vai ser você saber exatamente quem você é e não duvidar do Amor Dele por você, não importa o que você esteja fazendo.



Para finalizar, voltando ao início, te aconselho a você fazer um exame de autoconhecimento e ver quais são realmente os seus valores, e quando você descobrir, agarre-os com toda a convicção possível. Pois não vai importar qual escolha você vai fazer, se vai ser a castidade, (que com muita convicção é possível alcançá-la), ou se vai ser, viver uma vida sexual saudável e ativa, o que vai importar é você estar feliz consigo mesmo, não prejudicando a ninguém e principalmente a você mesmo, se culpando infinitamente.



Deixo uma mensagem do próprio Jesus para você:



“Amarás a Deus sobre todas as coisas e a teu próximo como a ti mesmo”.


Este é o mandamento principal, certo?



Se você não se amar como você é, dificilmente vai encontrar a paz e a plenitude que deseja alcançar. Se perdoe, se reconcilie com o seu Deus e perceba que você merece ser feliz como qualquer outra pessoa. Tenho certeza que se você for autêntico com você mesmo e com o seu Deus, você irá ter uma vida muito mais em paz consigo mesmo e em harmonia com o seu Deus.



E aí, você gostou do conteúdo?


Se precisar, estou aqui para conversar. Entre em contato nas minhas redes sociais e se precisa aprofundar seus direcionamentos, agende um horário comigo.


Através de consultorias online, no conforto da sua casa, você tem acesso as minhas mentoria, em sessões de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal, profissional e sexual, nas suas relações interpessoais e intrapessoais. Não deixe pra depois! A hora de ser feliz é AGORA!


Contatos para consultorias, eventos e palestras:

linktr.ee/sexcoachbrasil

  • White Instagram Icon

Instagram

  • White Twitter Icon

Twitter

  • whats

Whatsapp