Diário de uma Bi: Setembro Amarelo - Mês de Prevenção do Suicídio





Setembro Amarelo: agir é divulgar, debater, falar sobre e se possível, prestar atendimento às vítimas

Florianópolis, 01 de setembro de 2020.

Olá, meu querido diário!

Mais um mês se iniciando e eu poderia falar de tantas coisas com você… Mês da primavera, minha estação preferida, ou da esperança para liberação de vacina contra Covid-19, ou mesmo dos meus novos hobbies adquiridos durante o isolamento social, ou do caos que está o país e o mundo em meio a tanto racismo e violência e abuso contra a mulher… enfim, muitas coisas para contar, leves e pesadas… Mas hoje vou me ater a algo também muito importante.

Hoje começa o Setembro Amarelo, o Mês de Prevenção do Suicídio.

O Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio. No Brasil, foi criado em 2015 pelo CVV (Centro de Valorização da Vida), CFM (Conselho Federal de Medicina) e ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), com a proposta de associar à cor ao mês que marca o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio (10 de setembro).

A ideia é pintar, iluminar e estampar o amarelo nas mais diversas resoluções, garantindo mais visibilidade à causa.

Sabe, meu querido diário, quando eu estava pesquisando para escrever um post no blog sobre o Setembro Amarelo, achei o CVV. Já me cadastrei para ser voluntária e fazer o curso de especialização para prestar atendimento.

A Organização Mundial da Saúde avalia o suicídio como problema de saúde pública. Estima-se que, para cada suicídio, existem pelo menos, dez tentativas suficientemente sérias ao ponto de exigir atenção médica; mais ainda: para cada tentativa de suicídio registrada, existem quatro não conhecidas (Diekstra, 1993).

Acredito que hoje, o suicídio já ultrapassou a marca de ser uma epidemia, tornou uma pandemia. Tenho certeza que a maioria das pessoas já passou por um problema assim ou viveu de perto com a família, ou ainda vive, como é o meu caso.

Como você bem sabe, meu querido diário, convivo de perto com esse problema na minha família, não somente de uma pessoa mas de algumas, principalmente agora na pandemia, onde tudo se potencializou.

Uma pena eu não ter conhecido CVV antes, talvez eu pudesse ter tido mais ajuda, ter sido menos difícil lidar com tudo e não me sentido tão sozinha para cuidar de todos da minha família que passaram por isso.

Por isso, quero divulgar o CVV para que mais pessoas conheçam.



Eu me coloco a disposição para ajudar naquilo que eu puder.

Neste mês, eu estarei de amarelo sempre que puder, em minhas redes sociais e ao vivo, nas plataformas de streaming, divulgando o CVV. Espero conseguir fazer a especialização para ajudar mais pessoas.



Hoje sabemos que o suicídio é um agravo de transtornos mentais, psicológicos e sociais, pois há bem pouco tempo atrás o suicídio era um tabu, não se falava sobre o assunto e o que a gente não fala, fica tão escondido e limitado que vira um tabu realmente. Mas agora sabemos que é uma doença e que, falando sobre isso, promovendo o debate, podemos iluminar as ideias e ajudar a trazer novas soluções.

Acredito que todos nós deveríamos nos engajar mais a respeito do Setembro Amarelo, pois mesmo que algumas pessoas não tenham parentes vivendo essa situação, podem ajudar porque é nossa responsabilidade cuidarmos uns dos outros, melhorarmos como pessoas, evoluir como sociedade.

Então, é isso! Eu sei que você concorda comigo meu querido diário, não é sempre, mas concorda. Durante esse mês a gente vai conversar mais vezes sobre o Setembro Amarelo.


Até breve!

  • White Instagram Icon

Instagram

  • White Twitter Icon

Twitter

  • whats

Whatsapp