Diário de uma Bi: Pecado e Redenção



A liberdade das amarras da culpa e do pecado

Florianópolis, 25 de setembro de 2019.



Olá, meu querido diário!



Tudo era para estar bem, mas porque passei o dia sentido esse vazio? Essa noite tive um pesadelo. Será que foi coisa do capeta? Pode até ser, sim. Mas faço como a Dory “continuo a nadar”. Não dá pra deixar a peteca cair, não é mesmo?



Sinto falta de ter um tempo para a minha espiritualidade. Tenho vivido apagando incêndios. Sinto que preciso voltar ao equilíbrio.



Falei com Deus ontem e Ele me disse: - Continue aprendendo, minha filha, continue trabalhando, continue estudando, um dia você se tornará uma grande sábia e vai gerar muitos frutos para o meu povo.



Tenho uma visão bem particular de Deus, sabe, meu querido diário, estou sempre em sintonia com Ele, não importa o que aconteça, mas às vezes sinto saudade de ter um pouco mais de tempo só com Ele.



Eu sei o que você vai dizer, meu querido diário, que isso depende somente de mim, e isso é a mais pura verdade… Ai ai, você sempre trazendo luz aos meus pensamentos e ideias, nas várias questões da vida, como esta e também em várias outras, como por exemplo, o meu trabalho.



Isso me faz refleitir… imagina só o meu trabalho e a minha vida!



Sou Sex Coach, feminista, bissexual, escritora, produtora de conteúdo…


Escrevo sobre sexualidade, ajudo as pessoas a se relacionarem afetivamente e sexualmente, com muita responsabilidade, mas sem precisarem carregar uma culpa nas costas do tamanho de uma bigorna, sem se sentirem condenadas ao inferno porque fazem sexo. Digo isso, principalmente para as mulheres, que são as que mais sofrem com sentimentos de culpa.



Vivemos numa sociedade ainda muito machista e misógina. É extremamente difícil falar de sexo sem sofrer retaliações, mais difícil ainda é falar de Deus, simplesmente porque parece que são duas coisas opostas. Mas eu descobri que não. Não são.



Eu me sinto cada vez mais na presença de Deus. Aqueles fantasmas do passado de acusação de que sexo é sujo, sexo é pecado não cabem mais na minha vida.



Uma imposição da sociedade e da Igreja, como o que uma mulher deve ou não fazer ou sentir, que me configurava como uma promíscua, como uma pecadora, simplesmente por gostar de fazer sexo, de sentir prazer, que é mais ainda do que sexo.



Depois de muita introspecção e autoconhecimento, hoje me sinto completamente livre dessas amarras e nem por isso rompi meu relacionamento com Deus. Pelo contrário, só fortaleceu a minha fé.



Incrível, né, meu querido diário, como um pouco de introspecção faz milagres na vida da gente.



Eu vejo que o sexo é algo sobre o qual exige a necessidade de ser conversado debatido, explicado, desmistificado para todas as pessoas, de todas as idades, gêneros, cores, classes sociais, etc.



Enfim, o sexo é algo que se deveria ser feito com muita liberdade, mas antes de tudo, com muita responsabilidade.



O que ocorre é que, em vez de ensinar e instruir, proíbem. E aí, meu amigo, a coisa fica feia, pois nenhuma repressão gera boa coisa.



A falta de informação e educação sexual e antes disso ainda, pela falta de se trabalhar as relações intrapessoais e interpessoais do comportamento humano, muitas pessoas se sentem angustiadas e perdidas em relação ao sexo, sem falar no peso da culpa como coisa suja e pecaminosa. Isso ainda existe, meu querido diário, e como!



Ainda temos muito trabalho pela frente!


Esse foi um belo desabafo, meu querido diário.



Confesso que hesitei em te contar tudo isso, por um momento fiquei com medo do que você pensaria de mim. Mas resolvi mostrar minha vulnerabilidade com propósito de me conectar com você, com o mundo e com Deus.



E vou sim, continuar falando sobre Deus, se eu quiser, e sobre sexo, sobre liberdade, sobre qualquer outra coisa. Por quê? Porque este é o meu diário e eu tenho liberdade de escrever nele o que eu quiser.



Sigo com esta frase incrível na minha cabeça:


“A maior aventura que você pode ter é viver a vida de seus sonhos”
Oprah Winfrey


Bjos! Até breve!