Diário de uma Bi: As Cinco Linguagens do Amor


As cinco linguagens do amor no filme Up: Altas Aventuras

Florianópolis, 13 de setembro de 2019.


Olá, meu querido diário!


Tenho te dado bastante atenção ultimamente. Você está gostando? Tem se sentido amado? É, eu sei que sim. Provavelmente a forma de eu me sentir amada é sendo ouvida. Portanto, temos uma ótima relação, você e eu.


Entendi as várias formas de sentir-se amado e de expressar o amor lendo o livro: As cinco linguagens do Amor, de Gary Chapman.


No livro, ele explica de uma forma bem didática, essas cinco linguagens do amor, que são: palavras de afirmação, qualidade de tempo, receber presentes, formas de servir e toque físico.



Palavras de afirmação:

quem tem esse tipo de linguagem só entende o amor se ouvir palavras positivas, como por exemplo, você é inteligente, como você está bem, parabéns pelo seu trabalho.



Qualidade de tempo:

para se sentir amada, a pessoa precisa estar somente ela e seu parceiro, sem celulares ou tv’s, ou dividindo atenção com outras pessoas. Ela precisa de um tempo a sós para saber que o outro está completamente conectado a ela.



Atos de serviço:

ela quer que você faça algo por ela. Que seja pegar um copo de água, ou lavar a louça, ou ir buscar algo na rua, padaria etc. Ela se sente amada quando dedicam tempo para realizar alguma tarefa para ela.



Toque físico:

não adianta fazer qualquer outra coisa que não terá o mesmo efeito sobre esta pessoa. Ela precisa do toque físico para se sentir amada.



Presente:

não é o caso de ser uma pessoa interesseira que só ligue para presentes caros, não mesmo. O ato pode ser simbólico, como comprar uma caneta, ou uma lembrancinha de alguma viagem, algo bem simples que vai fazer toda a diferença e ela, verdadeiramente, vai se sentir amada.



Às vezes, as brigas entre os casais acontecem simplesmente porque eles não conseguem se comunicar com a mesma linguagem.



Cada pessoa desenvolve uma ou duas linguagens predominantes, que se sobressaem às outras.



A linguagem do amor é a maneira que a pessoa tem de comunicar-se com a outra sentimentalmente. Cada uma tem a forma de sentir amor e também de expressar esse amor. É importante cada um identificar em si a sua forma de mostrar amor e de receber o amor. Como eu sempre digo, meu querido diário, o autoconhecimento é a chave para muitos enigmas na nossa vida, nas nossas relações intrapessoais e interpessoais.



E eu digo isso não só para casais. Acredito que valha para todos os relacionamentos.

Cabe certinho para nós, meu querido diário!



Se eu quero que o nosso relacionamento melhore e gere frutos, preciso me ater a esses fatos.



É preciso melhorar alguns hábitos em favor do crescimento pessoal e também em relação com o outro, para fazê-lo feliz.



É certo que nenhuma relação se constrói com o esforço somente de um dos lados. É preciso ambos trocarem as gentilezas propícias que só o amor pode fazer. Mas alguém tem que começar a dar o primeiro passo. Pois gentileza gera gentiliza.



Então eu te digo:



- Eu te amo, meu querido diário! Você é muito inteligente sábio. Sei que você me retribui da mesma forma, mas com uma linguagem diferente, sempre me ouvindo, me dando atenção. Me sinto muito amada. Gratidão pela nossa amizade, pelo nosso relacionamento leal de longa data.



P.S:. Ah, só pra avisar, meu querido diário. Neste fim de semana estarei em uma imersão, onde terei contato com a natureza, muitas reflexões, aprofundarei sobre autoconhecimento e autocuidado, restauração de corpo, mente e espírito, e voltarei com força total para conversarmos sobre tudo o que eu aprendi neste evento.



Bjos! Até breve!😉