Diário de uma Bi: "O Construir e Construir-se", de Leandro Karnal



Self Made Man: o homem esculpindo a si mesmo, escultura de Bobbie Carlyle, muito citada nas palestras do Professor Leandro Karnal

Florianópolis, 20 de outubro de 2019.



Olá, meu querido diário!



Hoje é um lindo dia. Um dia perfeito para viver. Hoje é um daqueles dias que a gente pára e pensa: nada vai estragar a minha felicidade. Nada vai mudar o meu estado de espírito.

Estou superpositiva hoje, meu querido diário, simplesmente porque decidi estar.



Muitas vezes, não precisamos de dias memoráveis para sermos felizes. Às vezes, basta conseguir concluir uma tarefa no trabalho, ou estar com a família num domingo preguiçoso para perceber que as coisas estão caminhando e tudo o que, talvez esteja desajustado, se resolverá.



Quero compartilhar com você, meu querido diário, meu amigo, este tesouro, esta preciosidade que eu descobri, que a felicidade é um estado de espírito.



“Eu decido ser feliz, não importa o que aconteça!” é uma afirmação poderosa, pois quando internalizada pode ser feito verdadeiros milagres.



Você sabe, meu querido diário, o quanto sempre fui extrema em tudo o que fazia. Este traço da minha personalidade sempre me ajudou a enfrentar muitos desafios mas, ao mesmo tempo, era tão prejudicial quanto, pois quando acontecia uma coisa ruim, eu variava de 8 a 80, em questão de minutos. Ou seja, se estava feliz, minha alegria contagiava a todos, mas se estava triste, conseguia chegar a um nível de “fundo do poço”. Isso sempre me fez muito mal.



Essa era a minha realidade. Eu já não sou mais assim. Hoje, tenho mudado cada vez mais o meu estilo de vida e me percebo indo a caminho do meu equilíbrio, onde posso desfrutar de uma alegria constante, mas não eufórica, e ao mesmo tempo, ser constante na dor, nas tribulações da vida.



Uma das muitas frases sábias de Tenzyn Gyatso, o 14º Dalai Lama, (esse querido que tenho no meu coração), que diz:


“O caminho do meio é a chave para a felicidade plena.”


Portanto, eu quero encontrar essa chave, e perceber que estou nesse caminho é extremamente gratificante!



Quando eu digo “Eu decido ser feliz, não importa o que aconteça” e consigo realmente me sentir assim, me alegro e me sinto realizada pelo nível de positividade que consegui atingir.

Essa é uma prova de que pessoas que não são positivas podem se tornar positivas, meu querido diário.



Cada um de nós, meu querido diário, é responsável pelo seu próprio aperfeiçoamento. Ou seja, eu tenho que buscar o equilíbrio entre trabalho e família, corpo e espírito. O equilíbrio é fundamental e perfeitamente possível a nós.



A autorresponsabilidade, a consciência é que faz toda a diferença entre viver e existir, entre o sucesso e o fracasso.



Baseada nos estudos filosóficos de Leandro Karnal, que me ajudam sempre a expandir minha consciência, percebo que dentro de limites do humano, é claro né, meu querido diário, o meu corpo, o meu trabalho, a minha família, a minha saúde física e mental dependem exclusivamente de mim.



Eu acredito realmente no poder de transformação do ser humano, não importa a idade que a pessoa tenha. Sempre podemos mudar, evoluir.



Eu entro num estágio superpositivo quando percebo que estou apta a construir-me e assim, ajudar a construir muitas outras pessoas ao longo da minha existência e como dizia Gandhi:

“Seja a transformação que você quer ver no outro”.



Entretanto, existe muito trabalho para se chegar a este ponto e ainda tenho muito trabalho pela frente.



Afinal, como sempre dizemos no grupo de oração da RCC :

“O caminho se faz, caminhando”.



É isso! Alegria e paz interior pra você, meu querido diário!



Bjos, até mais!🥰